Autorresponsabilidade – Você é o único responsável por si mesmo, pelas consequências de suas atitudes e por suas escolhas. O casamento está ruim? Cabe você repensar a sua parcela de responsabilidade. Você não tem a vida que quer? Foram as suas escolhas que o fizeram chegar até aqui. Estes são alguns exemplos de que a vida sempre irá exigir de você a autorresponsabilidade.

Quando uma pessoa ou casal chega a optar por fazer Coaching, em muitas situações, isso fica explícito: inversão dos papéis, jogo de culpabilidade, manipulação, drama excessivo e tudo mais que uma pessoa imatura pode fazer para fugir de si mesma. E a primeira coisa que fazemos é colocar os pingos nos “ís”.

autorresponsabilidade

Mas o que leva alguém a não ser responsável por si próprio quando adulto? Os contextos são variados. Muitos foram crianças mimadas que sempre tiveram a quem recorrer e acabaram não desenvolvendo habilidades de resolver seus próprios problemas.

Em outros casos, estes adultos simplesmente não tiveram apoio quando crianças ou em algum momento de suas vidas e tornaram-se dependentes – sobre a dependência, leia este artigo sobre os problemas da obsessão, outro problema muito comum de pessoas que não têm autorresponsabilidade.

Há ainda aqueles que estão passando por problemas de ordem física, social, financeiro ou emocional e que não conseguem lidar com tudo de uma só vez e simplesmente abandonam o seu próprio barco. Em Coaching, temos ferramentas para trazer à tona estas situações.

Outro problema que faz as pessoas perderem-se de si mesmas, ou seja, serem autorresponsáveis, é a autosabotagem, que tem consequências muito complexas, desde a incapacidade de realizar sonhos e metas, conseguir uma boa posição profissional, bons relacionamentos, e muito mais.

autorresponsabilidade

A autosabotagem possui outra consequência possível e interessante: o autoabandono – quando a pessoa passa a não se importar por tudo aquilo que lhe diz respeito, desde os cuidados pessoais e o ambiente em que vive, até os planos para o futuro. É um sintoma de uma autoestima muito baixa. Falo muito sobre a anulação de si e do autoabandono neste vído sobre como amar-se primeiramente – assista outros vídeo no canal Malu Moreira no Youtube:

Não cabe aos outros fazerem aquilo que apenas cabe a você

Cada ser humano é um universo de possibilidades à parte, mas por que fica ligado ao próprio ego e ao que as pessoas pensam ao seu respeito? Em algum momento da sua vida, alguém lhe disse que você não poderia ser determinada coisa ou fazer algo e você acreditou. Neste momento, abdicou de alguma forma de modo total ou parcial da sua autorresponsabilidade, e por ventura, atualmente a sua vida pode se mostrar emperrada e sem grandes evoluções.

autorresponsabilidade

O primeiro passo para recuperar a autorresponsabilidade é parar de se culpar e ao mundo e assumir-se – com todos os problemas e desafios que você tem, bem como as várias habilidades e recursos que possui para transformar a sua realidade. Enquanto, por exemplo, você culpar o seu companheiro(a) por um relacionamento que não está lá aquelas coisas – mesmo sendo óbvio que um relacionamento é um contrato firmado por ambas as partes – a relação não irá mudar. Você está neste relacionamento porque você assim escolheu. Enquanto você ficar reclamando do seu emprego tedioso e onde as pessoas não valorizam o seu trabalho, a responsabilidade em ser um profissional frustrado é sua. Você permitiu isso e continua se permitindo. Até quando?

Muitas pessoas sabem o que fazer, sabem onde estão errando e podem até supor soluções para seus problemas ou têm conhecimento da situação, mas no momento em que não se assumem diante da vida, ou seja, não alcançam a autorresponsabilidade, não efetivam uma prática e não mudam seus hábitos. Logo, nada muda. A solução para a sua vida está dentro de você; não vai cair do céu.

Às vezes é mesmo difícil tomar as rédeas da própria vida – para uns mais que para outros. Comece tomando pequenas atitudes e observando como se sente. No dia seguinte, mude alguns hábitos que gostaria de fazer há tempos e observe por um tempo. Você tem tempo para pensar antes de agir, pode recorrer sempre ao que deu certo no passado para ver se funciona agora, pode experimentar coisas novas. O marco zero é o bem-estar: sinta-se bem assumindo quem você é e se responsabilizando por si próprio. Não se culpe demais: aja!

Veja como recuperar a sua autoestima e dar a volta por cima lendo este post.

Malu Moreira trabalha com relacionamentos há mais de 15 anos. Durante todo esse tempo, trabalhou com diversas culturas e costumes, aumentando ainda mais o seu conhecimento e experiência no dia a dia com relacionamentos. Casada e mãe de quatro filhos, ela vive em “estado de graça”, como costuma sempre dizer.

Sua estrada traz na bagagem além do Brasil, países como Bolívia, Portugal, Angola, Inglaterra e Suíça, onde reside atualmente.

E como ela sempre diz: “Eu acredito que duas pessoas possam viver em perfeita harmonia, respeitando os seus limites, contanto que estejam tomadas pelo amor”.

Leave a Reply

Your email address will not be published.