Divisão de tarefas – A correria do dia a dia torna a divisão de tarefas algo imprescindível. O que fazer quando ele não quer ajudar ou se compromete, mas não cumpre a sua parte? Veja como estabelecer a divisão de tarefas de forma organizada e contorne os problemas com boa comunicação e paciência. Veja como!

Construindo a harmonia

Um lar depende de ação conjunta. Nem sempre é fácil conciliar os horários e a disposição para fazer dar certo. É preciso construir uma parceria entre as partes dentro e fora de casa. Uma casa limpa, segura e agradável, as contas sempre em dia, os compromissos da família – tudo isso exige esforço. É a realidade das famílias contemporâneas.

Divisão de tarefas

Um lar precisa de harmonia antes de tudo. Logo, a divisão de tarefas deve ser uma experiência que otimize o equilíbrio nas diversas responsabilidades do casal e não um motivo para brigas e conflitos. Isso deve ficar bem claro entre o casal. Além disso, os filhos, desde que tenham condições, podem fazer parte da divisão, com pequenas responsabilidades. Depende de cada um ajudar estabelecer e cultivar a paz e construir um lar harmonioso.

Colaboração mútua com agenda assertiva

Nem sempre é fácil conscientizar o homem que ele também precisa fazer a sua parte. Isso porque culturalmente o homem brasileiro não é motivado em toda a sua criação a participar por igual dos afazeres domésticos. Desta forma, para incentivá-lo, muitas vezes é preciso criar uma dinâmica familiar em que as responsabilidades são igualmente importantes. Isso permite que você se envolva em atividades externas com mais dedicação, como os estudos ou carreira.

Divisão de tarefas requer pessoas responsáveis

Para que haja uma divisão de tarefas assertiva, é preciso priorizar a comunicação franca e aberta. Saber toleras as minúsculas falhas do outro é o primeiro passo. O respeito começa quando o casal sabe ouvir e falar com clareza. Não há como assumir responsabilidades se o canal comunicativo com o parceiro não está estabelecido.

Divisão de tarefas

Se há arestas para reparar, antes de dividir de fato as tarefas, resolvam os problemas comunicativos. Tenham momentos próprios para conversar, caso ainda não tenham este hábito – definir horários é muito importante. A divisão de tarefas deve ser consensual e baseada na comunicação assertiva.

Aprenda a ter mais aceitação pelo outro

É preciso acolher o parceiro quando ele está se esforçando, mas não alcança os resultados que você espera. Não perca a paciência quando ele realizar uma tarefa de uma forma que não seja próxima do seu modo de fazer. Não se frustre por ele não aprender de primeira as coisas que gostaria que ele fizesse. Tenha paciência e recomessem sempre que o desafio exigir um recomeço.

Dicas extras

Vamos ver como otimizar a divisão de tarefas do lar? Veja algumas dicas:

1 – Não pense mais que a mulher tenha que assumir certos serviços e o homem outros. Todos da família devem participar para não sobrecarregar ninguém. A responsabilidade precisa ser dividida. Além disso, as crianças, caso as tenham, aprendem vendo os exemplos que há em casa.

2 – Montem uma agenda de tarefas com atividades diárias e semanais.  Isso torna o processo de divisão de tarefas mais claro. Compartilhem as ações conforme a disponibilidade de tempo de cada um. Nem sempre só podemos fazer aquilo que gostamos. Às vezes é preciso fazer aquelas coisas que não gostamos ou não sabemos fazer direito. Isso pode ser um bom desafio.

3 – Comecem fazendo o que cada um sabe fazer de melhor. Isso evita confusão e torna o processo mais produtivo.

4 – Muitas vezes a iniciativa de ensinar deve ser sua e isso requer motivação e reforço positivo com elogios. Evite críticas e faça elogios para tornar a experiência mais enriquecedora.

5 – Seja um exemplo. É mais fácil que o outro aprenda com exemplos do que com cobranças. Ser um exemplo é mais didático e assertivo, é mais indicado na relação dos filhos com as responsabilidades da casa.

Malu Moreira trabalha com relacionamentos há mais de 15 anos. Durante todo esse tempo, trabalhou com diversas culturas e costumes, aumentando ainda mais o seu conhecimento e experiência no dia a dia com relacionamentos. Casada e mãe de quatro filhos, ela vive em “estado de graça”, como costuma sempre dizer.

Sua estrada traz na bagagem além do Brasil, países como Bolívia, Portugal, Angola, Inglaterra e Suíça, onde reside atualmente.

E como ela sempre diz: “Eu acredito que duas pessoas possam viver em perfeita harmonia, respeitando os seus limites, contanto que estejam tomadas pelo amor”.

Leave a Reply

Your email address will not be published.