Validação – Dentro de um relacionamento, há certos mecanismos que ajudam a manter o equilíbrio da relação. Tudo na medida certa pode contribuir de modo positivo com a vida a dois, seja um pouquinho de ciúmes, um pouco de liberdade para o outro fazer o que gosta, algumas “provas de amor”, etc. Mas o que pode passar segurança e até ser um pouco charmoso, de modo desmedido, pode se transformar em manipulação.

O que é a validação em um relacionamento?

A validação, o ato de colocar em perspectiva algo que legitime a relação, pode ser algo corriqueiro que de fato tem a ver com os mecanismos de equilíbrio do casal ou pode ser uma moeda de troca. Há pessoas que buscam a todo momentos legitimar uma relação que já está em progresso, que a toda hora faz o outra afirmar e validar isso o que estão vivendo. Não seria mais interessante viver a relação do que tentar legitimá-la a todo momento?

validação

A validação não é um problema necessariamente, mas quem faz dela um artifício de controle e manipulação, este sim, é um desafio. Muitas pessoas possuem este comportamento desde a infância e não conseguiu transcender para outras formas de se relacionar com as pessoas.

Quando você tenta a todo momento fazer com que o outro valide aquilo que têm em comum, isso diz muito mais a respeito sobre você do que sobre a relação: o medo fica evidente, a insegurança, a baixa autoestima e até mesmo a dúvida se esta relação vai durar. Ninguém autoconfiante, com a relação bem clara em sua mente, com confiança e parceria para com o outro ou que sabe bem o que quer coloca em xeque a todo o momento o equilíbrio da relação.

Invista na comunicação conjugal

Outro problema muito comum entre os casais – e que gera questionamentos e a necessidade de validação – é a falta de comunicação conjugal. Antes de fazer o parceiro(a) provar que está presente no relacionamento, que tal começar a conversar melhor sobre seus medos e anseios? A falta de comunicação leva a deterioração do relacionamento.

O que poderia ser tão simples – saber falar e ouvir amorosamente – fica em segundo plano e dá lugar ao drama e à manipulação. Este é um dos principais problemas que chegam às sessões de Coaching de relacionamento e uma das primeiras coisas a se resgatar.

Seja flexível

Aceite a relação tal como ela é, o parceiro(a) como ele é e a si mesmo. Você tem condições de fazer isso? Então, é o primeiro passo para ser uma pessoa mais flexível. Um relacionamento é uma troca, um contrato firmado entre duas pessoas em prol de uma vida em comum. Mas quando a troca vira palco de competição, disputa e manipulação – “você prova o seu amor e viverá bem; você não tem a disposição para provar seu amor a todo momento, então, farei da sua vida um inferno” – há alguma coisa errada.

validação

Tem um ditado que diz que você precisa abrir mão e deixar livre para receber tudo o que quer. Parece contraditório, mas é assim que funciona. Ter flexibilidade é focar no amor e no que é realmente importante – liberdade, respeito, admiração, etc., e não no controle. Quem um relacionamento fabuloso? Tenha este relacionamento, viva a relação, deixe o outro vivê-la ao seu modo, e não como você acha que deveria ser. Seja o primeiro a acreditar no seu relacionamento.

Cuidado com a autossabotagem

Muitas vezes, a insegurança e a baixa autoestima resultam em comportamento de autossabotagem. A pessoa se questiona, de modo inconsciente ou consciente, se é digna de algo tão maravilhoso quanto um relacionamento, e busca mecanismos para miná-la, como se não tivesse direito de ser feliz. Muitas pessoas dizem que têm “o dedo podre” na escolha dos parceiros. O que na verdade acontece é uma série de comportamentos e pensamentos que as fazem escolher pessoas erradas, que nada têm a ver com elas, ou as pessoas certas, em relacionamentos cheios de questionamentos.

Neste caso, é preciso reavaliar toda esta série de comportamentos e seus desencadeadores e buscar no seu íntimo as respostas por agir desta forma. O problema não está no outro neste caso, mas em si mesmo. Muitos casais chegam às sessões de Coaching achando que possuem problemas, mas na verdade a autossabotagem (de um deles ou dos dois) é o que coloca tudo a perder e a validação excessiva é apenas uma forma de sabotar a relação. Esta viagem contra a autossabotagem nem sempre é fácil e pode ser bem dolorosa. É preciso ter paciência e determinação, pois mudar seus hábitos não ocorrem da noite para o dia. Mas se você se permitir, irá com certeza mudar a sua vida em diferentes sentidos.

Tudo está perfeito

Tudo está perfeito, em termo de validação, quando ela ocorre de modo simples e espontânea. Não é preciso fazer mais nada. Mas quando há exigências, cobranças, manipulação, culpa e raiva, a validação torna-se um artifício de controle e o alerta se acende na relação. Não invista em um problema. Invista na solução: no amor.

Malu Moreira trabalha com relacionamentos há mais de 15 anos. Durante todo esse tempo, trabalhou com diversas culturas e costumes, aumentando ainda mais o seu conhecimento e experiência no dia a dia com relacionamentos. Casada e mãe de quatro filhos, ela vive em “estado de graça”, como costuma sempre dizer.

Sua estrada traz na bagagem além do Brasil, países como Bolívia, Portugal, Angola, Inglaterra e Suíça, onde reside atualmente.

E como ela sempre diz: “Eu acredito que duas pessoas possam viver em perfeita harmonia, respeitando os seus limites, contanto que estejam tomadas pelo amor”.

Leave a Reply

Your email address will not be published.